Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Páginas Amarelas de Cabo Verde

Tudo que procura, encontra nas Páginas Amarelas.

Páginas Amarelas de Cabo Verde

Tudo que procura, encontra nas Páginas Amarelas.

Dicas para marketers sobre o futuro das plataformas digitais

Nos dias de hoje é cada vez mais necessário promover uma interação ou um envolvimento proactivo de clientes com as empresas. Uma interacção, que vai além da simples prestação de serviços ou da procura/oferta, mas sim uma interacção significativa que possa criar um relacionamento.

 

Com ajuda ou suporte das plataformas digitais a exemplo do facebook, twitter, linkedin, instagram, pintrest, snapchat, está sendo mais fácil criar esse envolvimento/relacionamento.

 

Segundo alguns especialistas, os passos da inovação não mostram quaisquer sinais de abrandar, o que quer dizer que o futuro das plataformas digitais pode ser muito promissor. Mas para compreender o futuro destas plataformas é preciso antes conhecer e compreender os 7ps, e como atuarão dentro delas:

 

marketig-nas-redes-sociais.jpg

 

1.P (Pessoas)

As plataformas facilitam e suavizam a comunicação, eliminam o atrito entre informação e comunicação, permitindo uma comunicação bipolar, dando as pessoas o poder de informar e de ser informado, deixando de ser um recetor passivo e passar a ser um emissor/recetor ativo. Hoje somos mais eficientes graças a essas plataformas que definitivamente estão a tornar as nossas vidas muito mais fácil.

 

2.P (Participar)

As plataformas promovem uma participação ativa dos clientes na vida das empresas, isso devido a sua estrutura ( two sided networks). A GO Pro (famosa Fabricante de Camêras HD), utiliza uma estratégia bem interessante, que é, envolver os seus clientes na vida na empresa/marca, não apenas como consumidores, mas também como uma comunidade co-criadores. O objetivo é fazer os clientes sentirem-se “HEROIS”, por poderem partilhar os seus entusiasmos e conteúdos na plataforma. Para promover a participação de clientes, os marketers devem apostar no relacionamento contínuo, não apenas criar conteúdos que se tornam virais, mas criar conteúdos que possam gerar ou desencadear conversas, debates e discussões dentro da plataforma.

 

3.P (Personalizar)

Hoje estamos no centro de controlo das informações. Antes, éramos bombardeados por milhares informações, algumas úteis, outras nem tanto. Hoje as plataformas disponibilizam um conjunto de ferramentas que nos permitem, selecionar, segmentar, personalizar as informações que nos interessam e constantemente estamos a criar os nossos próprios filtros.

 

4.P (Produto)

Já foi o tempo em que utilizava-mos as plataformas para falar de produtos, hoje os produtos estão dentro das plataformas, podemos pesquisar, escolher, comparar e comprar através delas. Por exemplo, os clientes da UBER (Empresa Americana de rede de transportes) podem selecionar músicas para as suas viagens diretamente da sua playlist no Spotify (serviço de música via streaming).

 

5.P (Processo)

Muitas empresas estão a utilizar as plataformas para reformular a forma de fazer negócios e outras atividades empresariais, por exemplo, as Páginas Amarelas de Cabo Verde utiliza o Trello para facilitar o processo da produção e o Facebook como intranet.

 

6.P (Pagamento)

O pagamento digital suaviza o processo de compra e venda. Podemos comprar um app, pagar um táxi, pedir um café e pagar, sem precisar de dinheiro físico, isso graças ao pagamento digital.Espera-se que em breve haja uma maior integração de e-commerce e redes sociais nas plataformas.

 

7.P (Parceiros)

Deve haver uma parceria entre plataformas e fornecedores para desbloquear a conectividade. Um usuário de uma plataforma deve ter um suporte tecnológico e técnico por parte do fornecedor. Um restaurante, que tem uma página online em uma rede social, se quiser, por exemplo, acrescentar um aplicativo onde se pode escolher ingredientes para pratos personalizados e encomendar, deve ter a garantia dos fornecedores da flexibilidade da plataforma para adaptar a sua necessidade.

 

O futuro será de grandes desafios e o futuro de muitas empresas e marcas vai depender de como irão se posicionar dentro das plataformas. O cliente não será apenas consumidor de produtos e serviços, fará parte de uma grande equipa de criadores da identidade de empresas e de marcas. Os marketers devem criar estratégias para acrescentar valores aos seus clientes, pois quanto mais valorizados se sentirem, mais envolvidos estarão com a marca.

 

 

Por Edmilson Furtado

Baseado no artigo “ A cheat sheet for marketers on the future of digital plataforms” de Mark Bonchek e Cara France