Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Páginas Amarelas de Cabo Verde

Tudo que procura, encontra nas Páginas Amarelas.

Páginas Amarelas de Cabo Verde

Tudo que procura, encontra nas Páginas Amarelas.

Porque não gostamos de clientes éticos?

Segundo a pesquisa do professor Reckec, a maioria das pessoas vão optar por não ver as questões ligadas a ética dos produtos e serviços. A pergunta que ele lança é: Quando não procuras informações sobre a conduta ética de uma empresa e de seguida vez um outro consumidor a fazê-lo, como te sente?

 

A resposta é, os que não o fazem, classifica os outros como sendo chatos, estranhas e menos atraentes. Isso é visível quando deparamos com um cliente mais exigente e que exige um pouco mais de nós. A tendência é o cliente mais fácil agradar-nos.

Reckec questiona: os humanos são tão terríveis que acham as pessoas que fazem o bem são estranhas?

 

Quando vemos uma pessoa a fazer o que é correto, das duas, umas, ou o caracterizamos negativamente ou então somos levados a inspirarmos e segui-lo. Temos uma prospeção a comparamos com os outros. O ser ético ou não normalmente vem do querer ser igual a uma outra pessoa, o que não é o comportamento ideal. O sentido de ética deve ser algum interiorizado e entendido por cada um.

 

rt6h6.jpg

 

Um exemplo disso é por vezes pessoas incomodarem por alguém querer saber se por traz da produção de um determinado produto, há a exploração do trabalho infantil. Aqui é um exemplo prático de avaliarmos a nos mesmos, pois só nos observando atentamente é que isso será possível.

 

Mas afinal o que as empresa devem tirar disso?

As empresas que trabalham de forma ética precisam anunciar as suas práticas de forma destacada nas suas embalagens para que os consumidores nas lojas possam ter a opção de escolha. Estes só irão utilizar as informações se elas lá estiverem. É mais fácil nos despir dessas responsabilidades se não as conhecemos.

 

O resultado desses comportamentos são pessoas sem bases éticas o que reflete no dia-a-dia das empresas. É preciso falar sobre isso de forma clara e sem tabus, para que haja dialogo, troca de ideias no seio de uma organização que queira seguir os preceitos éticos e morais. Afinal profissionais éticos irão gerar produtos e serviços de melhor qualidade e credibilidade.

 

Por Cheila Delgado

Fonte: https://hbr.org/2016/04/ethical-shoppers-dont-inspire-us-they-bug-us