Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Páginas Amarelas de Cabo Verde

Tudo que procura, encontra nas Páginas Amarelas.

Páginas Amarelas de Cabo Verde

Tudo que procura, encontra nas Páginas Amarelas.

Vender fora da zona de conforto

As vendas, estão em constante modificação, independente do produto ou serviço. No mundo comercial, quem determina é o consumidor, e não há como ignorar os seus desejos e espectativas.

 

A perceção geral é que vender no seu país, tanto para o comercial quanto para a empresa, é sempre mais difícil. No entanto, é mais importante avaliar quais os ganhos a nível de experiencia e valor internacional que é agregado quando uma empresa decide vender os seus produtos fora do seu país.

 

O desafio acaba por abranger todos os sectores, como cultural, comercial, financeiro, entre outros. Os ganhos a nível da marca Páginas Amarelas e o reconhecimento, coloca a empresa num nível de internacionalização favorável, o que aumenta a confiabilidade que os seus consumidores depositam nela.

Paginas Amarelas-8.jpg

Ao levar a marca além fronteira, é possível que está fique mais vulnerável às críticas a nível internacional, porém, há uma grande probabilidade de valorização da mesma fora da sua zona de conforto. Isso é de certa forma um ganho extraordinário quando pensamos na marca Yellow Pages, onde o objetivo é também que ela seja global e não nacional.

 

O comercial que consegue ter essas facetas, mesmo no meio das dificuldades, traz também para a empresa uma outra visão de mercado e de negócio que ajudará no posicionamento da marca fora do país.

 

Afinal, vender um produto ou serviço no país que não é de origem, onde há a barreira da língua, cultura, valores e etc, é desafiante, além de carregar um valor acrescentado para aqueles de assumem a missão.

 

O desafio é o alimento da alma de qualquer profissional e/ou empresa que não se contenta com a rotina diária e a monotonia de fazer todos os dias as mesmas coisas. Por isso, o risco faz-se necessário no crescimento das instituições que quererem o reconhecimento além fronteira.

 

Por Cheila Delgado