Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Páginas Amarelas de Cabo Verde

Tudo que procura, encontra nas Páginas Amarelas.

29
Dez15

Como negociar com uma pessoa mais poderosa do que você?

Páginas Amarelas de Cabo Verde

Negociar com alguém aparentemente mais poderoso pode ser uma experiência intimidadora. Ao tentar fechar um contrato grande, negociar aumentos e vantagens com um empregador ou fazer negócios com uma empresa de maior porte, a sua abordagem durante a negociação pode afetar drasticamente suas chances de sucesso. Como agir diante destas situações para que o sucesso seja garantido?

 

O artigo publicado no blog da Harvard Business Review (revista da Faculdade de Administração de Harvard), por Carolyn O'Hara aponta algumas ferramentas para lidar com o cenário referido. Ela aponta que ocupar uma posição de menor poder se torna, se o negociante está consciente disso.

 

Ainda Margaret Neale, Professora de Administração na Stanford Graduate School of Business destaca que pessoas poderosas muitas vezes perdem níveis de empatia, da capacidade de se colocar no lugar do outro e compreender as suas necessidades. Diante disse aponta aqui algumas dicas de O'Hara para lidar com negociadores mais poderosos e obter sucesso.

 

 

Que dizem os especialistas?

 

Seja confiante

“Muitas vezes temos medo da ameaça da concorrência”, diz Weiss. É comum nos preocuparmos com os outros cinco candidatos que estão sendo entrevistados para um emprego, ou com os seis outros vendedores que podem conseguir um contrato, e como resultado disso, diminuímos nossas exigências. Pergunte-se quais dessas preocupações são realmente verdadeiras e considere quais são as competências e conhecimentos que você traz para a mesa e que os outros candidatos não trazem.

 

Compreenda seus objetivos e os deles do seu comprador:

Crie uma lista que contenha os resultados que desejas obtercom daquela negociação e porque tem esses ou aqueles objetivos. É um exercício para saber o que definitivamente não pode ser aceite, e em que áreas haver alguma flexibilidade. A partir do conhecimento dos seus alvos, busque compreender o que a outra parte precisa, de forma que suas propostas cheguem "à metade do caminho", encurtando a distância entre suas demandas e as de quem está negociando com você. Lembre-se que o negócio precisa ser vantajoso para os dois lados; pense nisso para que crie propostas mais realistas.

 

Preparar, preparar, preparar…

Weiss diz: "O mais importante é estar preparado". Fazer sessões de brainstorming para obter soluções criativas e pensar em diferentes caminhos para alcançar o que se quer da negociação são pontos importantes de preparação. Obter dados sobre a outra parte também é de extrema importância. Resumindo nesta fase tem de estar bem preparado para ser conciso e eficiente nas respostas as necessidades dos clientes.

 

Ouça e faça perguntas

Segundo Neale, duas das estratégias mais importantes que se pode apreender e praticar são ouvir e perguntar (as perguntas certas). Ouvir e realmente prestar atenção, inspira confiança. Perguntar sem medo, demonstra interesse e pode servir como forma de desarmar a outra parte. Por exemplo, se um chefe diz que o empregado não tem o perfil para um determinado projeto, e este questiona que tipo de perfil se encaixaria no projeto, pode-se abrir uma porta para que o funcionário mostre que tem as características necessárias para tal.

 

 

Mantenha a calma

Um dos maiores erros que uma pessoa com menos poder pode fazer em uma negociação é reagir ou agir de maneira agressiva como a outra pessoa está fazendo.“Não imite o mau comportamento”, diz Weiss. “Se a outra pessoa faz uma ameaça e você revida, você está ferrado.” Mantenha o seu lado da discussão focado em resultados, mesmo que as negociações envolvam atribuições de valor para você ou ao seu produto. “Saiba quais são seus objetivos e direcione sua estratégia neste caminho e não leve em conta o comportamento da outra pessoa. Você deve manter o controle da negociação”, diz Weiss.

 

Mantenha-se flexível

Os melhores negociadores têm preparo suficiente para entender que é preferível “um terreno todo ao invés de um único caminho através do bosque”, diz Weiss. Isso significa que você não será limitado a uma única estratégia de dar e receber, mas será capaz de fazer várias manobras à medida que a negociação progride. Se a outra parte faz uma exigência, peça para lhe explicarem o motivo. Sugira alguns minutos para debater soluções adicionais, ou perguntar se eles já concederam a alguém os termos que eles estão exigindo. Manter a flexibilidade em seus atos significa que você pode trazer uma solução que não é só boa para você, diz Neale, mas também faz com que eles “ sintam que ganharam”.

 

 

O que você deve fazer:

Coloque-se no lugar deles – é crucial para entender o que é importante para o outro lado;

Lembre-se de seu próprio valor – você está na mesa por alguma razão;

Faça perguntas – vai obter informações valiosas sobre suas motivações e interesses.

 

 

O que não fazer:

Improvisar – nada bate uma boa preparação;

Copiar o comportamento agressivo – se eles fazem ameaças ou exigências, mantenha seus objetivos.

Depender de uma única estratégia – desenvolva uma gama de respostas para manter a negociação a seu favor;

 

 

Por Amina Borges

Fonte: https://hbr.org/2014/06/how-to-negotiate-with-someone-more-powerful-than-you/

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

23
Dez15

O poder do propósito no trabalho

Páginas Amarelas de Cabo Verde

Reid Hoffman, fundador do linkedin demonstra neste artigo como é fundamental ter um propósito quando pensamos em desenvolver qualquer projeto. Ele direciona o texto ao campo laboral, podendo ser aplicado também em outras perspetivas. 

 

Para o autor, quando as equipas são pequenas é mais fácil manter esse propósito, porque também é mais fácil manter todos engajados no projeto.

 

1.jpg

 

A medida que a empresa vai crescendo, onde eventualmente é preciso contratar mais funcionários, corre-se o risco de ver a cultura inicial da empresa a sofrer alguma alteração, visto que as pessoas têm habilidades e temperamentos diferentes, portanto é preciso ter esse tal propósito bem delineado.

 

É necessário que a filosofia da empresa seja enfatizada ainda nas entrevistas de contratação para que a pessoa ao ser contratada tenha já em mente qual o real propósito e quais os procedimentos para que tal seja concretizado.

 

Quando há esse senso comum de propósito, o nível de engajamento e lealdade para com o projeto e a empresa tende a ser maior e consequentemente os funcionários ficam por mais tempo na empresa, está, por sua vez também terá todo o interesse em manter o funcionário, criando assim uma relação, que por vezes vai além da relação laboral.

 

 

Por Sulamita Piedade

Fonte: https://www.linkedin.com/pulse/power-purpose-work-reid-hoffman

18
Dez15

Trabalho em espaços abertos: sonho ou pesadelo?

Páginas Amarelas de Cabo Verde

Espaços de trabalho abertos, foram altamente difundidos nos últimos anos. Foram idealizados por arquitetos e projetistas na tentativa de reduzir barreiras físicas e hierárquicas típicas das grandes organizações e gerar maior inclusão. Entretanto, o assim chamado “open space” – que deveria facilitar a comunicação entre indivíduos e equipes, potencializar a criatividade e aumentar a produtividade – hoje em dia é alvo de crescente desconfiança. A questão central a se avaliar é: o modelo open space realmente traz benefício para indivíduos e equipes da organização?

 

open space realmente pode facilitar a comunicação entre colegas, mas também gera desconforto para quem quer se concentrar. Dentro de um ambiente corporativo onde habita a diversidade, cada pessoa tem seu estilo: os mais analíticos ou introvertidos preferem trabalhar em silêncio; os comunicativos gostam de compartilhar suas ideias; e os práticos focam-se no trabalho, mas em alguns momentos também gostam de conversar e brincar com os colegas.

 

No open space é comum o uso de fones de ouvido. Esse hábito acarreta isolamento em vez de proximidade. Ainda assim, alguns profissionais que optam por sua utilização reclamam que o volume da voz de alguns colegas chega a ser superior ao som das músicas. O contrário também vale. Há pessoas que ouvem música no volume máximo, sem perceber que o som pode perturbar quem está próximo. Na convivência diária, além do volume, os timbres de voz, principalmente os mais agudos, transformam-se em motivos de irritação e até antipatia.

 

Outra queixa frequentemente associada ao modelo open space diz respeito à maneira de lidar com os telefonemas: “Há pessoas que ficam o tempo todo conversando sobre assuntos pessoais, gerenciando questões domésticas, marcando consultas e incomodando quem quer trabalhar. Sabe-se, ainda, que as pessoas têm ritmos próprios e, na maioria das empresas, os horários de trabalho seguem certa flexibilidade.

 

organização dos espaçosembora tenha sido desenhada para ser prática e bonita, nem sempre é eficiente no modelo open space, pois cada um organiza ou acumula seus pertences em suas baias, conforme critérios individuais, não padronizados.

 

1.jpg

 

Iguais, mas diferentes

Muitos reclamam que mesmo em espaços abertos, existe um sistema de privilégios. Alguns postos de trabalho são mais ventilados, iluminados, têm vista externa, enquanto outros não dispõem dos mesmos benefícios. A hierarquia profissional é outro argumento, pois nem sempre os chefes estão nos espaços abertos, ampliando, na prática, o distanciamento.

 

Seu superior fica em um “aquário”, uma sala fechada com janelas de vidro transparente nas divisórias, e observa tudo o que a sua equipe faz. “Enquanto a tela do meu computador fica exposta e eu não possa fazer nada pessoal, ele acessa o Facebook o dia inteiro. Quando chego em casa, vejo suas postagens realizadas em pleno horário de trabalho. O sentimento é de injustiça! Não é que eu queira passar o dia no Facebook. Quero um mínimo de liberdade.”

 

Espaços abertos geram maior produtividade?

De modo geral, profissionais que trabalham em espaços abertos afirmaram sentir mais cansaço ao longo da jornada de trabalho e no final do dia. O esforço para concentração faz com que precisem reler mais de uma vez o mesmo documento ou que tenham dificuldade para redigir até mesmo os e-mails.

 

Aparentemente, apenas uma minoria de profissionais – principalmente, em equipes mais homogêneas e criativas, como aquelas que atuam nas áreas de comunicação e informática – preferem espaços abertos ou, simplesmente, não se incomodam em trabalhar nessas condições. Uma jornalista comentou que a ausência de privacidade não é um incômodo, pois ela se sente à vontade diante dos colegas e superiores para fazer suas pesquisas pessoais ou profissionais. Isso demonstra que cabe à organização, antes de realizar altos investimentos com configuração e reconfiguração de layout, conhecer melhor o perfil das suas equipes.

 

Investi em espaço aberto, e agora?

Para aqueles que investiram recentemente em escritórios open space, estabelecer regras de convivência, com certa flexibilidade, pode ser uma alternativa. Para gerar produtividade e bem-estar, o projeto deve englobar medidas educativas e medidas de infraestrutura.

 

2.jpg

 

Por Janilda do Rosário -  Departamento Financeiro das Páginas Amarelas de Cabo Verde

 

Fonte: http://hbrbr.com.br/trabalho-em-espacos-abertos-sonho-ou-pesadelo/

 

 

15
Dez15

O Natal das criancinhas das Páginas Amarelas

Páginas Amarelas de Cabo Verde

Na passada sexta-feira, as instalações das Páginas Amarelas de Cabo Verde ganharam um brilho especial com a presença dos filhos dos colaboradores da empresa. Já faz parte da programação anual das Páginas Amarelas, receber as “flores das esperanças” para comemorarem juntos o brilho do natal.

 

1.jpg

 

Das 16h às 20h as crianças tomaram conta das Páginas Amarelas e fizeram a festa. No embalo de muita música infantil, elas dançaram, brincaram, correram, saltaram, comeram muitos doces (não podia faltar) e no final ganharam os tão esperados presentes.

 

2.jpg

 

Foram momentos de magia, de brincadeiras e de muita alegria. O espaço onde da lugar a reuniões de grandes negócios, despiu-se da seriedade que o caracteriza, para acolher essas preciosidades que também fazem parte das Páginas Amarelas, afinal, elas muitas vezes são a razão para que a vida de cada funcionário tenha mais brilho.

 

3.jpg

 

Para as Páginas Amarelas de Cabo Verde, o futuro pertence as crianças e por isso é importante apostar no bem-estar de cada uma, para que o amanhã seja risonho e de bons frutos. Poder estar presente no natal das crianças dos seus funcionários é fazer parte da historia de cada uma e vice-versa.

 

As Páginas Amarelas espera poder participar sempre do Natal dessas crianças, que são a inspiração de muitos dos seus funcionários. O que esperamos é que o espirito do natal esteja no coração de cada adulto o ano todo, para que nosso novo ano que se aproxima seja de muita prosperidade e amor.

 

Autora: Cheila Delgado

08
Dez15

A competição com o Marketing de Conteúdo

Páginas Amarelas de Cabo Verde

Observar a concorrência é muito fácil nos dias de hoje, uma vez que o marketing de conteúdo é feito por meio de pesquisas em qualquer navegador. 

 

Existem muitas ferramentas de SEO como: SpyFu, Moz e SEMRush que podem dizer muito sobre um site. Para o pesquisador Brian Sutter, que é Diretor de Marketing da empresa Wasp Barcode Technologies e autor desse artigo publicado na Forbes, a utilização dessas ferramentas há vários anos têm-lhe ajudado a ganhar imenso conhecimento sobre o que a concorrência está a fazer.

blog1.png

A capacidade de compreender quais os sites que estão vinculado para o nosso conteúdo e as palavras-chaves que remetem realmente ao tráfego do nosso site dá-nos a capacidade de concentrar os nossos esforços de marketing de conteúdo e aumentar o tráfego de busca orgânica em mais de 30% por ano.

 

Essas ferramentas (SPYFU, MOZ e SEMRUSH), são diferentes para cada tipo de necessidade da empresa procura na análise do conteúdo de marketing. 

 

O MOZ adapta-se melhor na parte analítica, ou seja consegue ter uma base geral das estatísticas e rastreamento páginas, mas no que toca ao backlink não é a melhor opção. 

 

O SEMRUSH analisa palavras-chaves nos primeiros 20 resultados da pesquisa no Google. Por outro lado podemos também saber se o crescimento da empresa está a ser efetivo ou não.

 

Há uma ferramenta chamada Fanpage Karma que permite que se faça uma análise bastante detalhada da página no Facebook e uma comparação com a dos concorrentes. Também inclui escalar os posts mais populares e os menos populares e quais os tipos de mensagens que podemos publicar, incluindo todas as estatísticas sobre o crescimento da página. Uma outra ferramenta para analise é o Twitter Audit que verifica se um concorrente do Twitter têm seguidores falsos. Com isso, pode analisar se é válido acompanhar todos os seguidores do seu concorrente. Ainda pode utilizar uma ferramenta como FollowerWonk para descobrir os seus seguidores mais influentes, e apenas segui-los.

 

O autor do artigo ainda afirma que ao analisar o concorrente através dessas ferramentas, devemos ter em conta o que pretendemos para assim adequar cada ferramenta ao tipo de pesquisa.

Estas são apenas algumas sugestões de ferramentas de análise de conteúdo de marketing para estratégias de SEO. Algumas são gratuitas e outras pagas. De certeza que existem outras mais, mas o importante é reunir de cada uma delas uma variedade de palavras, perceber quais são as que nos interessa e trabalhar para tentar conseguir o maior tráfego para as médias sociais.

 

Por : Amina Borges

Fonte:http://www.forbes.com/sites/briansutter/2015/09/29/how-to-outsmart-your-competition-with-content-marketing/2/

02
Dez15

Dez erros cometidos nos primeiros 10 minutos de um dia de trabalho

Páginas Amarelas de Cabo Verde

Os primeiros minutos de trabalho são fundamentais para a sua produtividade nas oito horas que sucedem. Caso chegas atrasado ao escritório ou sejas absorvido por uma caixa de e-mail a transbordar, terás o dia todo comprometido.

 

Fica atento a esses pontos:

 

1.     Chegar tarde ao escritório 

Estarás a minar o teu dia de trabalho antes mesmo de ela começar.Um estudo recente, citado no Huffington Post, descobriu que os chefes tendem a ver os funcionários que entram mais tarde como os menos conscientes e dá-lhes mais baixos índices de desempenho, mesmo que eles saíam mais tarde. Não é justo, mas é a realidade atual. Portanto, tente chegar ao escritório o mais cedo possível.

 

2.     Não cumprimentar os teus colegas  

Podes definir um tom agradável de cumprimentar os colegas, ocupando alguns minutos para conversar com eles.Se és um líder e não disseres "olá " à tua equipa, aparenta que os teus conhecimentos pessoais podem não coadunam com as tuas competências técnicas. Mesmo não sendo gestor, o silêncio te distancia dos colegas e faz-te aparentar ser o menos acessível.

 

3.     Beber café 

Se não és o tipo de pessoa que toma um copo logo quando acordas, provavelmente tomas logo que entrares no escritório. A pesquisa sugere que o melhor momento para beber o café é depois de 09:30 isso porque o hormônio do stress cortisol, que regula a energia, geralmente tem seu pico entre às 8H00 e às 9H00. Dessa forma, quando bebes café nesse período de tempo, o corpo começa a produzir menos cortisol, e a depender mais da cafeína. Uma vez que os teus níveis de cortisol diminuem depois das 9:30, podes realmente precisar desse impulso cafeína.

 

4.     Responder a cada e-mail  

Depois de sentares na tua secretária, é tentador mergulhares na enorme quantidade de mensagens que entraram durante a noite.Mas de acordo com Michael Kerr, autor de "You Can't Be Serious! Putting Humor to Work," - Não podes ser sério, põe humor no teu trabalho - os primeiros 10 minutos de trabalho devem ser gastos rapidamente para organizar as prioridade. Assim, separas os mais urgentes e crias um plano para resolveres o resto mais tarde. 

 

5.     Iniciar o trabalho sem um cronograma preliminar em mente  

Antes de iniciares o dia, Taylor sugere, teres a certeza de como ele está organizado. Isso inclui escrever as principais prioridades e os que devem ser feitos durante o dia e rever o teu calendário.Verificas quais as tarefas que podes planear e se precisas preparar para todas as chamadas ou reuniões. Caso contrário, podes ser surpreendido quando receberes um lembrete de 10 minutos para uma reunião de equipa e estás a meio de execução de uma outra tarefa.

 

6.     Fazer as tarefas mais fáceis primeiro 

A pesquisa concluiu que a sua energia e força de vontade tendem a diminuir conforme o passar do dia. Por isso, convém despachares as tarefas mais difíceis o mais urgente possível. Algumas pessoas chamam essa estratégia de "comer a rã ", baseado numa citação de Mark Twain : "Coma um sapo vivo, na primeira tarefa de manhã e nada pior acontecerá contigo o resto do dia". Ficarás preparado para o que vier.

 

7.     Não faça muitas tarefas ao mesmo tempo 

Por teres tanta energia na parte da manhã, sentes que podes fazer um milhão de coisas diferentes ao mesmo tempo.Mas a pesquisa mostra que a multitarefa pode prejudicar o teu desempenho no trabalho. O melhor é fazer uma coisa de cada vez. Defina algo positivo, concentrando-se numa única tarefa para os primeiros 10 minutos.

blog.png

8. Mergulhar em pensamentos negativos 

Talvez quase foste atropelado por um passageiro agressivo no seu caminho ou tiveste uma briga com teu parceiro na noite anterior.Não deixe que essas experiências te desviem das tarefas que precisam ser feitas hoje.Taylor sugere colocares os pensamentos negativos " numa caixa' no compartimento separado e começas a tua semana. " Se necessário, podes revê-los mais tarde.

 

9.     Ter uma reunião 

Reuniões de manhã podem ser um desperdício de seus recursos cognitivos.De acordo com Laura VanderKam, autora de " O que as pessoas bem-sucedidas fazem antes do café da manhã ", o início da manhã deve ser reservada para tarefas que exigem foco e concentração considerável, como a escrita.Se tens que reunir com o teu chefe e colegas de trabalho, certifique-se que está prevista para tempos de baixa energia, como o meio da tarde, a não ser que saibas que eles exigem uma tonelada de energia mental.

 

10.  Não seguir uma rotina 

Os cientistas dizem que teus recursos cognitivos são limitados, então use-os com sabedoria. Aproveite deles.Se passares o tempo no início do dia de trabalho tentando decidir se deves esvaziar a caixa de e-mail, tomar um café, ou resolver uma proposta, tens menos energia mental para trabalhar nela mais tarde.Interromper uma rotina permite que o teu cérebro funcione no automático por um tempo, para que quase não usares toda a energia mental.Como Charles Duhigg, autor de "The Power of Habit ", disse ao jornal Chicago Tribune : " Rotina basicamente nos dá a liberdade mental para pensar sobre o que é realmente importante e dessa forma, não temos de pensar em todos os aspetos mundanos da vida. "

 

Por: Rosa Cortez

Fonte: http://www.businessinsider.com/how-not-to-start-your-workday-2015-11

 

 

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Carrefour

    Excelentes dicas, discutimos isso esta semana na e...

  • Anónimo

    Te amo maninha... Bjs

  • Alcinda

    Assino por baixo da grande entrevista dada por est...

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D